Natureza

Morre no Quênia o último rinoceronte-branco do norte macho

PUBLICIDADE

O último rinoceronte-branco do norte macho morreu no Quênia aos 45 anos, anunciou a equipe responsável por sua segurança, o que deixa duas fêmeas como únicas sobreviventes da subespécie.

O rinoceronte, chamado Sudan, sofria havia muito tempo de complicações de saúde por sua idade avançada e, após um agravamento considerável de seu estado, “a equipe veterinária tomou a decisão de praticar a eutanásia”, informou em um comunicado a direção da reserva natural Ol Peteja, do Quênia, onde o animal vivia.

Quando Sudan nasceu em 1973, em Shambe, no Sudão do Sul, havia quase 700 exemplares vivos. Em tese, a morte de Sudan significa a extinção dessa subespécie de rinoceronte.

Os cientistas coletaram, porém, seu material genético e estão tentando desenvolver técnicas de fertilização in vitro para preservar a subespécie.

PUBLICIDADE

SUDAN ERA PROTEGIDO POR SOLDADOS (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Sudan passou a viver na reserva ambiental, na década de 1970, existiam ao menos 500 exemplares de rinocerontes-brancos do norte. Hoje, esse número é de apenas dois exemplares.

Enquanto campanhas para a preservação dos rinocerontes-brancos que vivem na porção sul do território africano fizeram com que a população desses animais aumentasse para mais de 20 mil exemplares, a espécie de Sudan (considerada um pouco menor do que seus parentes do sul) só minguou nos últimos anos.

 

Fonte:

https://revistagalileu.globo.com/

PUBLICIDADE
Comentários
PUBLICIDADE

CONTINUAR LENDO
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidos

To Top
error: Content is protected !!