Curiosidades

Mesmo cega e internada, esta mulher faz crochê para sustentar sua família

PUBLICIDADE

Motivação

Com certeza, pessoas com algum tipo de deficiência tanto física quanto mental,
tem em sua rotina uma boa dose de Força, superação e claro, muita dedicação.

Há exatos 1 ano na cama de um hospital, Maria Aparecidade de Jesus Gonzales Ortega, de 59 anos,
precisou festejar todas as datas comemorativas dentro do Hospital Universitário, em Campo Grande.

Ela sofre de uma doença na qual ataca as mitocôndrias, o que fez com que ela ficasse cega e quase muda!

Atualmente, ela sobrevive com uma traqueostomia (intervenção cirúrgica que consiste
na abertura de um orifício na traqueia e na colocação de uma cânula para a passagem de ar;
traqueotomia.)
Mas o que lhe deixou abatida foi quando souber que a família precisava de ajuda.

PUBLICIDADE

Sendo assim, mesmo na cama, ela confecciona peças de chochê e com a renda ajuda sua filha que encontra-se desempregada e os três netos, ambos moram no Bairro Los Angeles

Ao saber de tal notícia, à senhora “pegou” de volta as forças já roubadas pela doença e voltou a pegar nas agulhas.

“A doença deixa o paciente muito fraco e debilitado, mas ela só ficou
mesmo abatida quando soube das necessidades da família. É inacreditável vê-la confeccionando
tudo aquilo sem errar mesmo sendo cega”, detalha a assistente administrativa do hospital Yara Ferro, 43 anos.”

Claro, que tudo que se usa, um dia acaba, Aparecidade está quase sem o material que precisa
para continuar fazendo as peças, então, Lara não pensou duas vezes ao criar uma “vaquinha” pedindo
doações a paciente.

PUBLICIDADE

Eu e os demais funcionários do hospital ficamos todos os dias impressionados com a garra dela. E mesmo diante da doença e dos problemas financeiros da família, ela sempre está sorrindo e tratando todo mundo muito bem mesmo com gestos, pois já não consegue falar direito já que está com a traqueostomia. É uma lição de vida”, conta.

Os sintomas dessa grave doença tiveram início há pelo menos uma década e meia. Ela sempre encontrava-se mal, indo e voltando para o hospital, todavia, o agravo da doença a forçou a encurtar esse caminho no ano passado.

A situação difícil de Aparecida, fez com que sua filha Cristina Gonzales, 34 anos, perdesse o emprego, em um caixa de supermercado há 2 anos. Desde então Cristina não conseguiu outro trabalho que permitisse também zelar por sua querid mãe.

Com quatro filhos de 9, 12, 16 e 18, sendo que, o mais velho está preso, Cristina ajuda na venda das peças da mãe para conseguir manter a família, segundo a equipe do hospital, em breve Aparecida receberá alta!

Quer ajudar essa guerreira com a doação de barbantes? Ligue pra o telefone: (67) 99903-4964.

 

FONTE

 

Comentários
PUBLICIDADE

CONTINUAR LENDO
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidos

To Top
error: Content is protected !!