Curiosidades

Imagens “pós-apocalípticas” revelam realidade preocupante no Reino Unido

PUBLICIDADE

Muitos europeus têm avaliado os danos causados ​​pelo recente clima, apelidando-o dramaticamente de “Besta do Oriente”. Mas as pessoas que visitaram certas partes da costa inglesa tiveram uma surpresa particularmente indesejável.

Milhares de estrelas-do-mar mortas e outras criaturas do mar foram levadas pelas águas até as costas em Kent e East Yorkshire, criando cenas surreais que relembram filmes de terror pós-apocalípticos.

Mas como uma tempestade de neve causou tal destruição marinha?

Massas de estrelas do mar em costas não é algo completamente inédito. Por exemplo, vários milhões foram encontradas na costa do condado de Worcester, Maryland, nos EUA em 1960.

PUBLICIDADE

Até 10.000 foram encontradas ao longo da costa na Ilha de Man nas Ilhas Britânicas em 1999. E 50.000 estavam encalhadas no litoral irlandês em 2009.

Estes eventos não são exclusivos apenas para as estrelas do mar, mas também incluem outros animais marinhos que vivem no fundo do mar, incluindo caranguejos e moluscos.

A Besta do Oriente foi um vórtice polar que trouxe temperaturas congelantes e altas rajadas de vento terrestres no litoral leste do Reino Unido.

Ventos fortes podem perturbar os mares ao longo da costa, criando grandes ondas que agitam o fundo do mar, onde muitos animais residem. Os sedimentos no fundo do mar são perturbados e podem sufocar esses animais.

PUBLICIDADE

 

Felizmente, é improvável que o evento tenha um impacto a longo prazo nas populações de estrelas-do-mar do Reino Unido. Estrelas-do-mar são abundantes e bastante difundidas nas águas rasas do Reino Unido e do Oceano Atlântico.

São criaturas particularmente resilientes que vivem em habitats altamente dinâmicos, podem regenerar membros e são predadores altamente eficazes.

O que é mais preocupante é que esses tipos de eventos climáticos extremos podem se tornar mais comuns graças à mudança climática.

Este artigo foi publicado originalmente pelo The Conversation. [Science Alert]

 

Comentários
PUBLICIDADE

CONTINUAR LENDO
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidos

To Top
error: Content is protected !!